Adaptações de games deveriam se inspirar em Bandersnatch

Filme de Black Mirror é um jogo interativo

As adaptações de games para o cinema até hoje não conseguiram recriar efetivamente as histórias que fazem tanto sucesso nos jogos. Super Mario, Assassin’s Creed, Street Fighter e Doom são alguns exemplos de uma lista enorme de produções que falharam tanto na visão do público quanto dos críticos. Os roteiros eram simplórios e pouco atrativos, mas o maior problema pode ser o elemento básico que difere as duas artes: a interatividade.

Entretanto, Bandersnatch, filme da franquia Black Mirror recentemente lançado na Netflix, pode ser a solução para novas produções com origens nos jogos. O longa obriga o telespectador a interagir com a narrativa através de opções em pontos específicos da trama, assim habilitando caminhos diferentes para o protagonista percorrer e por isso encontrar vários desfechos devido suas escolhas.

Bandersnacth é revolucionário para o entretenimento por causa das possibilidades que abre em sua própria narrativa e como isso deve refletir em produções futuras nas plataformas de streaming. Entretanto, o longa é muito mais um experimento interessante do que um filme realmente atrativo, já que seus pontos positivos estão no conceito e na forma que ele questiona o usuário que participa daquela trama.

Charlie Brooker, criador de Black Mirror, faz de Bandersnatch mais uma de suas histórias que querem dialogar com o público sobre diversos assuntos cotidianos através da tecnologia e isso é o maior feito do filme interativo, mesmo que sua trama seja fraca. Ao mesmo tempo, ele reintroduz esta forma de narrativa em uma plataforma popular ao redor do mundo, mostrando parte do potencial que este estilo é capaz.

Apesar de Bandersnatch parecer algo único e inédito, jogos interativos existem faz muito tempo e nos últimos anos grandes produções da indústria dos games são desse gênero. Detroit: Become Human, Life is Strange, Wolf Among Us, The Walking Dead e Heavy Rain são exemplos que se enquadram no estilo. Mass Effect, mesmo que tivesse muita ação, trazia opções impactantes na história para o jogador tomar a decisão.

Entretanto, a Telltale Games, principal desenvolvedora de jogos interativos, faliu em 2018, assim trazendo questionamento sobre o sucesso desse gênero dentro da indústria dos games ou um possível esgotamento da própria empresa ao repetir sua fórmula de sucesso exageradamente. Com o sucesso da produção da Netflix, este nicho pode encontrar na plataforma de streaming um possível novo lar para estas narrativas abertas ao público.

The Walking Dead, da Telltale Games, é um dos sucessos do gênero

Experiência do usuário

Para fazer com que estes filmes interativos consigam se tornar boas adaptações de games, a experiência do usuário deve se tornar a prioridade. Em Bandersnatch, é intencional que o telespectador não tenha real controle daquilo, já que isso faz parte de metalinguagem que a obra quer transmitir. Entretanto, isso não gera tanta empatia e conexão com a trama, assim tornando os personagens desinteressantes e a história esquecível.

Opções básicas na construção de quem é o protagonista fazem com que o usuário se sinta mais presente no rumo que a trama está caminhando. Por exemplo, moldar as escolhos de um personagem que cresce no decorrer da história, como em Boyhood, faria com que aquela pessoa soasse única para quem está no controle das opções e assim gradualmente as escolhas ganhassem intensidade no cotidiano daquela vida.

Para uma experiência mais enérgica, o bom e velho RPG seria um caminho seguro para reconstruir a forma com que o usuário participa das escolhas do personagem. Este conceito poderia ser implementado com um recurso de interatividade em grupo, assim fazendo com que quatro pessoas tenham interação com a mesma trama ao formar uma equipe desbravando a mesma aventura.

Detroit: Become Human, lançado para PS4 em 2018

Hollywood ainda não encontrou sucesso em adaptar games para o cinema e deve tropeçar bastante até lançar uma produção que quebre esse tabu, mas pode ganhar força através da experiência interativa que Bandersnatch traz ao usuário. Para isso, as plataformas de streaming devem investir em projetos que entreguem não só a questão técnica da interação, mas também a funcionalidade que isso implica para render boas histórias, empatia pelos personagens e vontade de participar mais vezes desse processo narrativo, mesmo que já tenha conhecido um dos seus desfechos.

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.