Brawl Stars combina características de sucesso de jogos atuais

Supercell cria mais um game dinâmico, carismático e estratégico

A desenvolvedora Supercell parece ter observado muito bem os títulos de popularidade dos últimos anos para criar seu mais novo jogo: Brawl Stars. Por mais que o novo produto da empresa finlandesa seja para mobile, ele apresenta características de grandes obras da indústria  dos games, principalmente Overwatch, Fortnite e o prata da casa Clash Royale.

Ao combinar elementos claros de estratégia, recursos econômicos e dinâmica de jogabilidade, a Supercell investe em um game de tiro em terceira pessoa que requer pensamento tático do jogador, domínio das habilidades que o personagem possui e velocidade para reagir às reviravoltas que ocorrem em poucos segundos.

O game funciona com cada jogador selecionando seu brawler, um personagem com características únicas de ataque, defesa, habilidades especiais e pontos de vida. Esta seleção já faz total diferença na forma que a pessoa gosta de combater os adversários, já que sua escolha pode te fazer um suporte que combate à média-distância ou um tanque capaz de absorver bastante dano. 

Estes aspectos serão ainda determinantes no tipo de evento que você decidir jogar, mostrando que alguns brawlers podem ser efetivos num formato de jogo e péssimos em outros. Até o momento os modos Gem Grab, Big Game, Bounty, Brawl Ball, Heist, Robo Rumble e Showdown.

  • Gem Grab: Neste evento, o combate é feito entre duas equipes de três brawlers. Ambos os times precisam coletar gemas roxas que saem de uma mina no centro do mapa. Quem alcançar 10 destas pedras primeiro inicia a contagem regressiva para fazer com que aquela equipe seja vencedora. Entretanto, sempre que um jogador for morto, todas as games coletadas por ele serão derrubadas, enquanto ele ressuscita no respawn.

Para ser bastante efetivo no Gem Grab é preciso ficar próximo ao centro do mapa para adquirir as games e saber o momento ideal de fazer ataques aos brawlers adversários. O ideal é que a equipe nunca tenha apenas um personagem com muitas gemas, já que assim ele se torna o principal alvo da outra equipe. Se isso ocorrer, tal jogador precisa tirar proveito dos arbustos para se esconder corretamente e ter apoio estratégico dos outros componentes do trio. Reviravoltas tendem a acontecer na Contagem Regressiva por causa da agressividade necessária de quem está sendo derrotado, fazendo com que os seis participantes entendam noções de ataque e defesa.

  • Big Game: Cinco jogadores se unem para derrotar um grande chefão com status muito superior ao habitual visto nos brawlers, porém ele não possui a habilidade de recuperar vida vital aos personagens. Ele tentará se manter vivo o máximo de tempo possível, assim fazendo com que o quinteto tente derrubá-lo cedo e adquira mais tokens. O time tem 2 minutos e 10 segundos para derrotá-lo. Este formato não é ranqueado, então ninguém ganha ou perde troféus por participar dele.
  • Bounty: Novamente dois trios se enfrentam na arena, mas dessa vez tentando acumular abates contra o time adversário. Todos os brawlers começam a partida com duas estrelas e ganham mais uma sempre que matam um oponente. A quantia de estrelas do personagem abatido é contabilizada à equipe inimiga. Sempre que um jogador ressuscita, ele volta ao jogo com apenas duas. Ninguém acumula mais do que sete estrelas no mesmo brawler.

Assim como no Gem Grab, o Bounty faz com que os jogadores entendam movimentações de ataque e defesa, já que acumular abates e depois ser nocauteado pelo adversário torna-se um grande prejuízo. Por isso, cada trio precisa mesclar suas habilidades e fazer com que as ofensivas sejam vantajosas e consigam se proteger à longo prazo, principalmente ao usar personagens com ótimas qualidades de média e longa distância.

  • Brawl Ball: Neste evento, duas equipes de três brawlers precisam marcar gol na meta que fica próximo ao respawn do time adversário. A partida é decidida a partir de dois tentos realizados pelo mesmo time ou quem tiver feito mais até o tempo acabar. Caso haja empate com o término do tempo, a prorrogação começará com todos os obstáculos removidos do mapa. O personagem mantém a posse da bola sempre que nenhum outro personagem está próximo o suficiente dela.
  • Heist: Dois trios de brawlers precisam causar dano suficiente ao cofre da equipe adversária. Para isso, ambas as equipes precisam balancear ataque e defesa para proteger o objetivo principal dos oponentes e ainda conseguir agredir com consistência. Vence aquele que liquidar o cofre adversário ou tiver causado mais dano ao objeto. Se ambos tiverem a mesma quantia de vida, é declarado empate.

Devido ao formato do mapa para o Heist, que deixa o cofre de ambas as equipes protegido por alguns muros, personagens com habilidades de movimentação e furtividade são bastante eficientes. Leon, a lendária mais nova do game, consegue ficar invisível, então pode chegar até o cofre e causar uma boa quantia de dano sem o time oponente perceber. El Primo, rara de fácil aquisição, possui pulos efetivos tanto para chegar ao cofre causando dano quanto para recuar e proteger o objeto de sua equipe. Barley e Dynamike conseguem executar ataques por cima de obstáculos, então um bom posicionamento os usando deve gerar dano com facilidade ao cofre adversário.

  • Robo Rumble: Neste evento os brawlers precisam combater ondas de robôs que duram cerca de 13 segundos cada. As máquinas possuem quatro versões diferentes, sendo que cada uma delas possui características específicas. A dificuldade torna-se maior conforme eles conseguem se manter vivos no mapa. Este formato não é ranqueado, então nenhum jogador ganha ou perde troféus após a partida.
  • Showdown: Diferente de todos os outros modos, este traz o estilo Battle Royale, já que o vencedor da partida é aquele que consegue sobreviver no final. Para isso, cada jogador precisa esconder-se dos oponentes nos arbustos, aumentar seu poder ao quebrar as caixas pelo cenário e proteger-se da fumaça venenosa que cresce pelo mapa. Este evento também pode ser jogado em dupla, assim permitindo uma melhor combinação de habilidades dos brawlers disponíveis.

Todos estes estilos de evento possuem semelhanças claras com games da atualidade, mas recebem o estilo cartunesco que a Supercell gosta de trabalhar em seus jogos. Showdown aproveita a onda de popularidade dos Battle Royale para fazer sua versão própria, enquanto Brawl Ball e Gem Grab lembram alguns modos do Overwatch, como o Lucioball. Entretanto, não há demérito por parte da desenvolvedora finlandesa, principalmente por acrescentar habilidades que modificam bastante as táticas que podem ser realizadas pelas equipes.

Design e Economia

Assim como é notório no Clash Royale, a Supercell consegue criar jogos que não são apenas interessantes por causa da jogabilidade, mas também excelentes em características técnicas. Brawl Stars tem efeitos sonoros que são agradáveis e importantes durante as partidas, já que eles complementam acontecimentos no mapa e também dão mais personalidade aos personagens. A trilha sonora do menu principal ainda possui um ritmo moderno com estilo de produções clássicas da indústria. A questão estética aposta no 3D, o diferenciando do prata da casa.

Entretanto, os defeitos econômicos do Clash Royale também transparecem no Brawl Stars. Todos os jogadores precisam adquirir baús para conseguir personagens que ainda não estão habilitados, acumular Power Points para aumentar o nível dos brawlers e somar as moedas que cumprem várias funções. Além disso, o jogo possui gemas como segunda moeda interna, assim tornando uma delas mais abrangente e difícil de conseguir. Manter-se free-to-play é uma tarefa difícil caso o jogador não tenha paciência de melhorar seus personagens vagarosamente.

A jogabilidade pode ser um agravante a quem não consegue movimentar o personagem com fluidez ou mirar com precisão através do smartphone. Muitos aparelhos com tamanho reduzido devem dificultar a qualidade de jogo ao usuário ou até mesmo as características da tela do celular. Talvez, o mecanismo ideal para Brawl Stars seja o tablet, assim gerando problemas de alcance de público.

A Supercell cria novamente um game mobile acessível e com excelente qualidade, seja nos aspectos técnicos ou estratégicos. Brawl Stars é divertido, dinâmico e cativante, principalmente quando o jogador absorve rapidamente os conceitos que tornam o jogo tão atrativo. Se hoje ele é apenas um novo produto que combina estilos populares, é fácil de imaginar a desenvolvedora finlandesa o tornando um eSport respeitável em pouco tempo, principalmente quando o antecessor da empresa já é tão grande nesse quesito.

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.