14 coisas que aprendemos com FalleN e Rafifa no Bial

Assistimos a entrevista de dois vencedores programa do Bial. Gabriel "FalleN" e o Rafael "Rafifa13" são gente fina pacas

Assistimos na última semana uma entrevista de dois vencedores dos e-Sports no programa Conversa com Bial.

A entrevista foi mais um passo importante na disseminação de informações sobre nosso cenário.

Trataram de números relevantes e, principalmente, de como há um futuro para esse ecossistema.

Gabriel “FalleN” o maior vencedor de CS:GO do mundo foi o principal convidado. Também esteve no programa o Rafael “Rafifa13”, super campeão de Fifa 17.

Selecionamos 14 coisas que aprendemos com essa entrevista, para compartilhar com você.

Confira, então. [Spoilers Alert]

1. Lan House é a principal categoria de base do e-Sport brasileiro

Foram essenciais nos anos 90 e 2000, formando uma base de jogadores, uma rede que formou o FalleN, por exemplo.

2. Bial tem um gosto peculiar para jogos

E o Nick dele era BeeAll, em especial para um jogo de golf (!), o preferido do ex-apresentador do BBB.

3. FalleN é um cara humilde, que, além de top-player, pode ser também um embaixador brasileiro do e-Sports no mundo.

Tipo nossos jogadores de futebol que são ícones da ONU, ou levaram futebol para países em guerra.

4. Games são excelentes professores de inglês.

E essa é a melhor desculpa que você pode dar para sua mãe quando ela te pedir para ir estudar.

5. A melhor analogia para Counter Strike na vida real é Paintball.

Todo mundo morre, entretanto. Mas se o FalleN falou, quem somos nós, não é?

6. O Staff do FalleN conta com 20 pessoas.

E a mãe dele é a CEO. O cara é uma empresa, com vários negócios paralelos.

7. Sim, ele é um empresário dos bons.

Já têm mais de 600 mil pessoas de todo mundo cadastradas no Games Academy para aprender a jogar com ele.

8. Já o Rafifa joga no PSG, mas joga em casa, no Rio de Janeiro.

Faltou uma das melhores partes de ser contratado por uma equipe francesa (logo atrás de receber em Euros).

9. Fifa é um jogo super mental, qualquer erro é fatal.

Concentração e atalhos são o que vencem o jogo.

10. Ser um profissional de Fifa não é tão divertido quanto jogar com os amigos.

O jogo fica mais mecânico e aproveita a programação do jogo, os truques para fazer gol. Perde a magia do “futebol-arte”.

11. Política: é importante declarar o e-Sport como Esporte de uma vez por todas.

Só assim os games terão acesso á Leis de Incentivo Fiscal no Brasil. Isso mobiliza a iniciativa privada a investir mais pesado.

12. A premiação de DOTA2 é insana para todos os e-Sports.

Os jogadores, inclusive FalleN e Rafifa teriam trocado de especialização se soubessem disso antes. Brincadeiras á parte, são muitos milhões de dólares.

13. É legal ver um tiozão feliz, jogando Counter Strike.

Mesmo com ajuda de um dos melhores, Bial continuou com sua mira virada para céu durante a partida. E tudo bem.

14. FalleN e Rafifa são muito gente fina.

Os caras são humildes, esforçados, e reconhecem seus papéis no comendo ao e-Sport de alto nível.

Já viu como foi? Se não, dá uma olhada aqui:

COMENTÁRIOS

Publicitário, cientista do consumo e especialista do universo digital. É diretor geral e um dos idealizadores do Portal e-Arena, com muito orgulho.