Hearthstone ganha nerfs que realçam problemas do card game

Atualização das cartas deve mudar o metagame do CCG

A Blizzard anunciou ontem cinco cartas do Hearthstone que ganham nerfs. Elas são Wild Growth, Nourish, Leeching Poison, Saronite Chain Gang e Level Up! Entretanto, a desenvolvedora colocou as mudanças em prática no mesmo dia, assim tomando uma atitude totalmente diferente da habitual, que é notificar os jogadores e só após algumas semanas colocar em prática a atualização.

Esta atitude da Blizzard pegou toda a comunidade do Hearthstone de surpresa, tanto pela atitude convicta da equipe de desenvolvimento do card game em relação aos nerfs quanto pela velocidade de colocá-los na ativa. O lado agravante disso é o próprio timing por causa do campeonato da World Showdown of Esports, iniciado menos de 24h depois do anúncio, que já havia recebido as decklists dos participantes. Isto diminui o valor que a empresa dá a um torneio não realizado por ela e cria rusgas com os inscritos que treinaram horas para algo que não existirá na hora da verdade. Ao mesmo tempo, os telespectadores podem ter mais interesse pelo evento por causa de um metagame que foi forçado à reformulação há tão pouco tempo.

Cartas Nerfadas

  • Nourish: Provavelmente, o nerf mais correto dessa leva. A mágica do Druida é uma das cartas mais utilizadas e sempre foi muito efetiva para a classe devido às duas opções possíveis, assim dando uma flexibilidade acima da média até mesmo para as escolhas duplas que Malfurion possui. A Blizzard pode ter até demorado a lidar com este problema, principalmente porque já poderia ter a colocado no Hall da Fama ao iniciar o Ano do Corvo. Este um mana a mais deve dificultar a efetividade de early games conjurando ramps, principalmente por Wild Growth também ter sofrido tal modificação.
  • Wild Growth: Assim como Nourish, Wild Growth é uma carta popular do Druida que tem sido utilizada eficientemente nos decks da classe que necessitam aumentar os cristais de mana rapidamente para conjurar cartas de alto poder. Apesar disso, creio que a mudança nela é pensando num problema que poderia ocorrer ao mantê-la como de costume: Genn Druid. Um grande número de cartas da classe são de custo par e deixar o ramp primordial do deck da mesma forma poderia gerar algo muito eficiente no metagame. Hoje, ela se tornou muito pior no early game quanto no late, já que seu efeito de tornar-se uma compra ficou mais caro.
  • Level Up!: Odd Paladin tem sido um dos decks mais influentes tanto no Standard quanto no Wild, por isso a escolha de nerfar uma das cartas mais eficientes com o Hero Power da classe faz todo sentido. Ainda existe a possibilidade do deck continuar existindo, mas longe do poderio que tinha. Quartermaster pode ser uma substituição menos eficiente à versão do Wild.
  • Saronite Chain Gang: Por mais que seja muito utilizado no metagame, o nerf desse minion é consequência dos efeitos desencadeados com o Shudderwock. Modificar o efeito para que a carta se refira ao Saronite evita que a lendária do Shaman seja devolvida dezenas de vezes ao dono dela, assim causando um combo de late game massante. Pode parecer injusto a quem gosta do deck, mas agora o texto dela faz muito mais sentido à própria ilustração.
  • Leeching Poison: Assim como o Saronite, a mágica de ladino só foi nerfada por causa de outra lendária abusiva. Kingsbane Rogue é muito efetivo no jogo longo por causa dos buffs gerados à arma, assim possibilitando dano alto e vida recuperada simultaneamente, assim fazendo com que o adversário cause dano suficiente para o letal em apenas um turno. Ao mesmo tempo, é quase impossível usar hates contra a carta, já que a única forma de liquidá-la é queimando. É difícil encontrar outra saída para tirar o poder do baralho que não seja com tal nerf, mas isso deve acabar com ele sem nem possibilitar o reembolso completo de dust da arma.

Timing inédito

O mais surpreendente dessa onda de nerfs não são as cartas afetadas, principalmente Nourish, mas sim o momento. Fazer esta atualização forçada no metagame depois de duas semanas do lançamento de Rastakhan’s Rumble parece abrupto e emergencial, mesmo que não existisse a sensação de que havia alguma carta nova realmente broken nos formatos. Corridor Creeper e Giggling Inventor foram problemas mais claros logo no nascimento e demoraram muito mais tempo para levarem os ajustes dos desenvolvedores.

Ao mesmo tempo que jogadores podem sofrem com esse timing, outros podem enxergar com positividade uma atitude tão rápida. Sempre que o Hearthstone fica com seu meta estabelecido, o jogo torna-se menos atrativo e muito mais desgastante, o afastando do público casual. Como Rastakhan’s Rumble não conseguiu afetar com força os formatos, os desenvolvedores podem ter visto urgência em atualizar Standard e Wild antes do final de 2018.

Tapando o sol com a peneira

Mesmo que alguns dos nerfs sejam necessários e muito importantes para o metagame, é inegável que duas cartas sejam os maiores problemas do Hearthstone atual: Genn e Baku. As duas lendárias quebram princípios básicos desenvolvidos para o jogo desde o seu início, assim tornando imposições de custo e qualidade dos Poderes Heroicos em habilidades quebradas. Enquanto eles continuarem exatamente com o texto que possuem, tanto Standard quanto Wild sofrerão pela existência deles. Resta a Blizzard assumir a responsabilidade de um rework por completo de ambos, algo que realmente modificaria os formatos.

Enquanto isso, fica claro como a expansão Clássica precisa ser repensada. Mesmo que ela seja a base do jogo, não rotacionar nas mudanças anuais e manter-se tão influente é agravante. O próprio power level da coleção a torna alicerce de qualquer metagame do Standard. Com a existência do Hall da Fama, a Blizzard poderia colocar mais cartas clássicas como exclusivas do Wild, por exemplo, Knife Juggler, Mind Control Tech e Doomsayer. Utilizar esse recurso com eficiência evitaria nerfs bizarros, como houve com Mana Wyrm.

Hearthstone tem problemas que dificultam o metagame de ambos os formatos serem mais atrativos e a onda de nerfs recente deixou isso mais claro. Estrutura de rotação anual, manutenção da expansão clássica, rework em cartas que moldam  com exagero os decks e até mesmo um novo formato precisam ser discutidas pelos desenvolvedores como novidades do próximo ano, já que a estagnação tende a afastar o jogador casual, que deve ser a parcela mais importante dos consumidores do CCG. Mesmo que ainda seja o melhor jogo do gênero, a manutenção do seu público é uma das tarefas mais difíceis quando há tanta oferta de games interessantes disponíveis.

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.