Ano tem retorno de franquias clássicas e apostas inesperadas

Jogos de luta costumam ter público bastante fiel para o gênero há muito tempo. No Brasil, essa fidelidade existe desde o período que os fliperamas eram um ponto de encontro para os jogadores. Hoje, não existe essa perspectiva, mas ainda há uma comunidade bastante ativa no cenário do estilo virtualmente e com participação em torneios de pequena ou grande escala. Para 2019, o gênero recebe títulos de franquias de sucesso que se mantém ativas com efetividade durante muito tempo, mas também tem espaço para lançamentos de obras inusitadas e retornos inesperados.

Mortal Kombat 11: Reformulando uma franquia de sucesso

De todos os jogos de luta confirmados para 2019, Mortal Kombat 11 é o título mais aguardado pelo público. A franquia da NeatherRealm Studios existe há muito tempo na indústria, mas deu ênfase inovadora ao estilo a partir de MK9, quando o modo história ganhou relevância que outrora não era tão explorado por nenhuma produção das desenvolvedoras. O reflexo disso foi instantâneo em outras obras das concorrentes, mas com nenhuma chegando perto do que Ed Boon e companhia criaram para este universo repleto de violência gráfica.

Em MK11, a personagem inédita Kronika aparece com anseios de modificar a linha temporal após a bagunça que Raiden causou em MK9. Com isso, a história do game inicia logo após os eventos de MK 10, quando Shinnok é derrotado e o Deus do Trovão é corrompido pela influência dos poderes do vilão. A partir desse ponto inicial, várias alianças serão formadas com guerreiros de épocas diferentes, incluindo suas versões de tempos diferentes – algo já confirmado no trailer divulgado com dois Johnny Cage conversando.

Além de um modo história que deve se tornar ainda mais rico, a Netherrealm Studios investe pesado no sistema de customização de MK11, um recurso efetivo que já havia feito muito sucesso em Injustice 2. Permitir que cada jogador personifique cada vez mais seus lutadores preferidos é um diferencial que poucos games do gênero utilizam de maneira ampla e mostra-se uma mecânica bastante querida pela comunidade.

Mortal Kombat 11 será lançado em 23 de Abril.

Jump Force: Caça-níquel genérico

Em 15 de Fevereiro, Jump Force foi lançado pela Bandai Namco, com desenvolvimento da Spike Chunsoft, tendo como público-alvo os fãs de animes – principalmente da revista Shonen Jump. Ele foi efetivo como produto consumido pelos japoneses, superando a casa de 75 mil unidades físicas vendidas durante a semana de lançamento. Entretanto, a qualidade fica a desejar em mais uma tentativa de crossover de vários universos oriundos dos mangás.

Jump Force é repleto de carregamentos longos, o que dificulta drasticamente a experiência do jogador. Seu modo história é falho pelo grande número de situações repetitivas. A jogabilidade é extremamente simplória, o que torna a técnica um aspecto baixíssimo. Para alguns especialistas, suas críticas ressaltam que alguns selecionáveis são muito superiores a outros, tornando o balanceamento falho.

A Bandai Namco poderia ter investido em algum projeto que parecesse mais carismático, polido visualmente e bem desenvolvido como Dragon Ball FighterZ, que tornou-se um sucesso gigantesco e ultrapassou Street Fighter V no número de inscritos da EVO 2018, mas a empresa preferiu um jogo simplista e desinteressante que só foi capaz de agradar aos fãs mais fervorosos dos animes, mesmo que os personagens não tivessem sido bem trabalhados como poderiam.

O retorno de Samurai Shodown

Samurai Shodown (conhecido como Samurai Spirits no Japão) é uma das franquias da SNK que se estabeleceu bem durante os anos 90, mas que perdeu relevância a partir dos anos 2000. Agora, a desenvolvedora investe novamente em sua marca baseada nos confrontos do século 18 na terra do sol nascente.  Mesmo que ainda não tenha data de lançamento confirmada, a demo do projeto estará disponível na PAX EAST, no último final de semana de março. Além disso, o título fará parte dos torneios da EVO 2019.

Ao contrário de Dead or Alive 6, mais novo título lançado de uma franquia clássica que não apresenta evolução há anos, Samurai Shodown já demonstra potencial no aspecto visual que dá ao game. Com semelhanças ao design que mistura 2D e 3D de Street Fighter 4, o jogo dos espadachins renova estética e apresenta até o momento uma jogabilidade que parece fluida, o que pode resultar no retorno de bons games de luta da SNK – também detentora de The King of Fighters.

Power Rangers prontos para a porradaria

Apesar de Samurai Shodown ser uma surpresa, nada é mais curioso do que o inusitado retorno dos Power Rangers aos jogos de luta. Battle for the Grid é a produção com os personagens que se tornaram tão populares nos anos 90, mas não é a primeira do gênero – Mighty Morphin Power Rangers: The Fighting Edition, do Super Nintendo, permitia que os jogadores controlassem os Megazords ou os vilões em tamanhos gigantescos durante confrontos por locais vistos na série televisiva.

Power Rangers: Battle for the Grid utiliza o sistema de luta em equipes com diversos personagens diferentes que fizeram parte da série, seja como vilão ou herói, assim como o que tornou The King of Fighters e Marvel vs Capcom tão famosos. Mesmo que visualmente haja semelhanças, eles possuem golpes bastante diferentes, assim criando uma gama de possibilidades muito maior para combos e formas de usá-los em combate. O mais curioso é o investimento da Lionsgate Games numa adaptação para os jogos da franquia, que não obteve tanto sucesso no seu último longa para cinema.

Jogos de luta podem não ser o grande chamariz dos lançamentos de 2019, mas conseguem agradar diversos públicos diferentes com temáticas e estilos nada semelhantes. Mortal Kombat 11 é o maior título e deve ser um reflexo para o gênero com seus aprimoramentos de história e customização, mas os outros devem seguir o mesmo caminho de Jump Force – vender relativamente bem por causa de sua fanbase e merecer o devido reconhecimento se entregar qualidade louvável.   

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.