Resumão do Campeonato Mundial de League of Legends

Foto: Reprodução Facebook.

Desde o comecinho do mês de outubro o Worlds de League of Legends agita a comunidade jogadora. A final rolou na madrugada de sábado, 3 de novembro, com a vitória do time chinês Invictus Gaming por 3-0 contra a primeira campeão da história do Worlds, a inglesa Fnatic. Até levantar a taça do Invocador, a equipe chinesa passou por muitas disputas no mês de outubro, e vamos fazer uma retrospectiva para v

Já é tradição a Riot Games lançar um vídeo de abertura do campeonato.  Nele, pro players famosos fazem uma pontinha usando poderes de Campeões que usam com frequência. Assista Rise , o videoclipe da edição 2018 do Worlds. Vamos assistir?

Fase de entrada

O começo de tudo quase. Nos dias 1,2,3 e 4 aconteceram as fases de entrada, com o time brasileiro Kabum jogando a partida de abertura do campeonato. Nesta fase 12 equipes competiram pelas quatro vagas possíveis para as eliminatórias da fase de entrada. Então as primeiras colocadas dos 4 grupos disputariam com as segundas colocadas de outros grupos, até restar o melhor quarteto que jogaria a fase de grupos.

Entre os times, estava a brasileira Kabum, nossos queridinhos. Eles jogaram a partida de abertura contra a Cloud9 e  perderam o primeiro jogo. A vitória contra a DetonatioN FocusMe no segundo dia deu uma esperança para os brasileirinhos. Mas infelizmente não deu outra: a Kabum foi a eliminada do grupo C. As outras equipes eliminas na primeira triagem foram a Kaos Latin Gamers do grupo D, a Kaos Latin Gamers  do grupo A e a Ascencion Gaming do grupo B.

Taça do Invocador. | Foto: Reprodução Facebook

Nos dias 6 e 7 teve o segundo mata-mata pelas últimas vagas. Não era nem 12h do dia 07 e o Mundial estava formado.  As equipes G2, G-Rex, Cloud 9 e EDward Gaming integraram os 4 grupos da etapa seguinte.

Fase de Grupos

Com 16 times, o dia 10 de outubro começava finalmente o Campeonato Mundial de LoL de 2018. No formato Todos Contra Todos, os times enfrentavam os companheiros de grupo, restando os 2 melhores de cada grupo, que foram para a Fase Eliminatória.

Desta etapa restariam oito times, eliminando metade das equipes. A dupla Fnatic e IG conquistaram suas vagas tranquilamente. As equipes que brigaram na fase de entrada, a chinesa EDward Gaming e a americana Cloud9 foram para as quartas provando sua força.

A Royal Never Give Up foi o primeiro nome a conquistar uma vaga na final, em primeiro lugar do grupo B. E dois dias depois, dia 16 de outubro, a KT Rolster liderando o grupo C ia para as quartas de final.

Os próximos dois nomes vieram depois de muita disputa. A eliminação da Flash Wolves foi uma surpresa na chave B, que classificou a Afreeca Freecs em primeiro, com sua bela performance na segunda rodada, e a G2 Esports depois do jogo extra de desempate contra a FW, a ex-primeira colocada.

Os dois times finalistas faziam parte do Grupo D. A Fnatic fez uma bela campanha pela competição e a Invictus Gaming ainda não havia perdido nenhum jogo. Mal sabíamos que teríamos um prévia da final, entre Fnatic e IG, disputando o primeiro lugar da sua chave, em que o time europeu vencia. Mas tudo bem, ambas já estavam classificadas mesmo.

Chaves do Worlds 2018. | Foto: LoL Esports Br

Quartas de final

Os oito melhores times do mundo estava reunidos para competir. No primeiro dia, a chinesa IG e a coreana KT Rolster viveram um belo duelo de 5 rounds, com a KTR virando o jogo e a disputa final o vale tudo. A sorte estava com a Invictus, que mandou os coreanos para casa.

Contrariando as apostas e conquistando o público a G2 Esports venceu a Royal Never Give Up, até então favorita para levar a taça do mundial.

O segundo dia fechava a semifinal.  Cloud9 e Afreeca Freecs duelavam pela semi final. A equipe ocidental venceu o 1 e 3 jogo, virando o segundo. Por 3-0 o time coreano voltava para casa.  A terceira equipe ocidental se classificou no mesmo dia. A Fnatic tirava a chinnesa EDward Gaming da competição por 3-1.

Semi final

Nesta fase sobravam apenas quatro times dos 24 que começaram. As chaves eram Invictus Gaming x G2 Esports e Fnatic x Cloud9 nos dias 27 e 28 de outubro, respectivamente.

No primeiro dia da fase, a equipe chinesa IG não teve enfrentou muita dificuldade contra a espanhola Cloud9, comandando os dois primeiros jogos e vencendo o terceiro mesmo com o esforço do time europeu que progrediu muito nos primeiros 20 minutos da partida até a IG virar o jogo. Por 3-0 a Invictus Gaming garantiu um time oriental na final do Campeonato.  Estrelinha de mérito para Song “Rookie” Eui-jin e Kang “TheShy” Seung-lok que se comprovaram novamente os melhores players desse Worlds.

Na próxima madrugada, era a equipe Fnatic que levava por 3-0 a final, tirando a Cloud9 do campeonato. O embate entre os times não foi nada muito emocionante, com a Fnatic ganhando a primeira partida com apenas 25 minutos, e nas batalhas seguintes controlaram bem a retaliação dos americanos. Não deu outra, Fnatic conquistou uma vaga na final depois de sete anos.

A esquerda a Fnatic e a direita a equipe Invictus Gaming. | Foto: Reprodução Facebook

Final

A final desta vez seria diferente. Após a hegemonia sul-coreana por cinco anos consecutivos, quando o campeonato chegou à Coréia do Sul, chineses e britânicos roubaram o protagonismo na grande final.  Porém, a Taça dos Invocadores não foi muito longe continuando no mesmo continente viajando para o vizinho oriental, a Invictus Gaming.

A sequência de vitórias da IG sobre a Fnatic foi dolorosa para a equipe que era favorita de muitos. As escolhas erradas de campeões do time britânico custaram o primeiro jogo que durou 27 minutos e o vencedor com o saldo de 21 abates. O 2-0 não veio com dificuldade, já que a IG se tornava cada vez mais poderosa e arrasava a estratégia da Fnatic. O terceiro round foi mais emocionante começando com esperança para os britânicos que trocaram de tática, colocando em campo Paul “sOAZ” Boyer, que foi vice campeão no primeiro Worlds de LoL em 2011. Mas ainda não deu outra e os ingleses perderam novamente. 3-0 para a Invictus Gaming.

 

 

COMENTÁRIOS

Jornalista padawan, sou apaixonada pelo universo dentro das telas. Seja as novas sagas do cinema, games, discos ou séries da HBO, o universo da cultura pop (ou não tão pop assim) é o meu mundinho que tanto amo explorar e quero compartilhar isso com vocês.