10 cartas importantes que saem do Standard com Eldraine

Formato modificará drasticamente com a nova coleção

Eldraine é a próxima coleção a ser lançada pela Wizards of the Coast para Magic: the Gathering. A expansão baseada em contos de fadas e histórias arturianas chega ao MTG Arena na última semana de setembro, assim causando a rotação do Standard, que terá todas as cartas de Ixalan, Rivals of Ixalan, Dominaria e M19 removidas do formato. 

Com isso, muitos decks deixarão de existir e se tornarão exclusivos do Historic – formato criado para que tais cartas ainda tenham utilidade. Por isso, fizemos uma lista com as principais cartas que saem do Standard e foram extremamente importantes para o metagame.

Check Lands

Mesmo que os terrenos de Ixalan e M19 sejam repostos com certa facilidade pelo que a Wizards deve revelar para Eldraine, as check lands foram determinantes em funcionamento da velocidade de jogo do formato, ainda mais levando em conta a sinergia que existe entre elas e as Shock Lands de Ravnica. Portanto, mesmo que substituíveis, estas cartas cumpriram o propósito durante todo o período que pertenceram ao Standard.

Teferi, Hero of Dominaria

Teferi demorou muito tempo para voltar a aparecer no Magic, mas agora muito jogador gostaria que ele não tivesse voltado e um dos motivos disso é o poder que o Hero of Dominaria possui. O planeswalker tornou-se peça fundamental dos decks controle e até mesmo a Win Condition, o colocando num patamar de principal ameaça durante muito tempo. Hoje, sua versão de War of the Spark, Time Raveler, é mais odiada por grande parte da comunidade, algo que deve manter o ódio ao personagem por muito mais tempo no Standard – principalmente que já confirmaram o foco nele para a futura coleção M21. 

Search for Azcanta

O encantamento de Ixalan tornou-se peça fundamental em quase todas as listas de controle e ainda virou alicerce básico para o funcionamento do UG Nexus – deck que Levunga usou para ganhar o Mythic Championship pelo Arena. Dificilmente uma carta se mostrou tão eficiente para encontrar as peças ideais do baralho no jogo longo nos últimos anos, ainda mais sendo difícil de remover da mesa após se tornar um terreno.

Goblin Chainwhirler

O goblin de custo três foi tão importante durante muito período do metagame a ponta de determinar o que tinha chance de jogar ou não. Tudo isso por causa de sua habilidade de entrar em jogo e causar 1 de dano em cada criatura e planeswalker do oponente, assim tornando tudo com resistência baixa pressa fácil dele. Chainwhirler se tornou eficiente contra outros baralhos e até mesmo no mirror de mono red, contudo dificultou muito a vida de tokens.

Nexus of Fate

Provavelmente, Nexus of Fate é uma das cartas mais odiadas do atual Standard, mas não pelo papel que ela tem hoje em dia, mas pela forma que foi lançada e por ter sido tão opressiva durante o período que não era banida do BO1 no MTG Arena. A mágica ainda é bastante poderosa e até aparece em decks que não usam o encantamento Wilderness Reclamation, mostrando que pode ser um recurso importante até mesmo em estratégias que ela não seja vital.

Scapeshift

O feitiço mítico de M19 é muito mais conhecido pela comunidade por sua eficiência no Modern – formato popular do card game físico. Entretanto, ele conseguiu encontrar espaço no Standard depois da chegada do terreno Field of the Dead ao formato e se tornou um dos principais baralhos até a chegada de Eldraine. Mesmo com um período bastante curto de sucesso, a mágica verde criou um arquétipo novo e se mostrou uma ameaça muito poderosa.

Adanto Vanguard

Se há uma criatura hoje em dia que causa bastante desconforto para muito deck, o nome dela é Adanto Vanguard. O vampiro é relevante há muito tempo, não só agora que o tribal ganhou forças por causa de Sorin. Quando White Weenie era um dos melhores aggros do Standard, Adanto era uma das escolhas primordiais. Atualmente, ele aparece no baralho da tribo e RW Pluma, sempre incomodando com sua habilidade que dificulta os adversários de lidarem com ele sem recursos de exílio ou diminuição de resistência.

Llanowar Elves

O elfo é fundamental para vários decks que tentam acelerar o jogo adicionando mana rapidamente com os dorks – criaturas que geram mana, assim como os terrenos. O drop 1 permite que os baralhos curvem criaturas e assim coloque custos mais alto no campo de batalha ou simplesmente acelera um drop 3 que seja importante na estratégia. Apesar de ele rotacionar, os spoilers de Eldraine já revelaram que um ganso de ovos dourados pode fazer a função dele em breve.

Jadelight Ranger

Tritões são normalmente da carta azul, mas Ixalan os trouxe verdejantes também e um deles mostrou-se ótimo. Jadelight Ranger era uma das escolhas óbvias para se usar em combinação com Wildgrowth Walker e Merfolk Branchwalker, assim formando um trio que abusava da mecânica Explorar. Entretanto, a criatura tem corpo, custo e habilidade boa o suficiente para ver jogo sem seus amigos de exploração, o que o tornou muito bem quisto em baralhos midrange. 

Opt

Cantrips são mágicas azuis bastante importantes em vários formatos para gerenciar seu topo do deck e comprar as cartas necessárias para a sua estratégia. Opt tem se mostrado eficiente para poucos decks atuais, como o UG Nexus, mas já foi um dos recursos básicos de Mono U e UR Phoenix. Seria ótimo ver algo com habilidade e custo semelhantes ao de Opt em Eldraine.

Existe alguma outra carta que você acha que seria obrigatória nessa lista? Diga pra gente nos comentários.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.