A notória evolução da Overwatch League

Novas equipes e projeção para 2020 já mostram o sucesso da competição

A Overwatch League teve o fim do Stage 1 da segunda temporada no último fim de semana. Os fãs puderam acompanhar os oito melhores times desse início de campeonato brigando pelo título de campeão do primeiro quarto da competição. Vancouver Titans, uma das equipes novatas na OWL, manteve seu domínio invejável e derrotou San Francisco Shock por 4 a 3 em partidas muito disputadas.

Apesar disso, muitos fãs do FPS da Blizzard não ficaram satisfeitos com o período em que a composição GOATS foi dominante do começo ao fim. Contudo, esse Stage 1 já mostra uma evolução bastante grande do que era a liga em sua primeira temporada e no que ela se tornou no segundo ano. Tempo preciso de atualização para o Patch mais recente, grandes marcas entrando como patrocínio e novas equipes mostram que o futuro da OWL tem tudo para ser ainda mais grandioso do que já é hoje.

Celebração da vitória do Vancouver Titans na Stage 1

Novas equipes e reformulação da competição

Um dos principais pontos positivos para o sucesso do Stage 1 da segunda temporada da Overwatch League foi a inserção de oito equipes novas, principalmente por três delas terem participado dos Playoffs – Vancouver Titans, Atlanta Reign e Toronto Defiant. Além de acrescentar times de locais ao redor do globo, muitos profissionais talentosos reconhecidos pela comunidade ganharam ainda mais destaque. Dafran, por exemplo, era um dos principais streamers antes de fechar contrato para participar da liga, o que gera interesse de seu público para os jogos do campeonato.

Apesar dos times e rostos novos, a evolução a longo prazo entre as duas primeiras temporadas deve ser a reformulação do funcionamento de cada Stage. Enquanto anteriormente cada time jogava 10 partidas por fase antes de cada playoff, hoje são apenas 7, o que agiliza ainda mais a competição e não permite que o interesse do público diminua tão rapidamente.

Essa agilidade de Stage torna-se bastante efetiva também pelo uso dos patches mais recentes. Enquanto o primeiro ano abusava de atualizações que eram anteriores daquela em vigor, agora os competidores estão participando do mesmo metagame dos telespectadores que costumam jogar Overwatch. Isso gera mais conhecimento de jogo para quem assiste e também mantém coerência com o status quo do jogo. Para quem odiou ver a dominância de GOATS no Stage 1, a inclusão de Baptiste, mapa de Paris e uma grande leva de nerfs e buffs gera expectativa para a fase seguinte.

Horizonte não tão distante

A Overwatch League ainda não está nem na metade de segunda temporada, mas grandes anúncios da competição nos próximos anos já começam a ser divulgados. O principal deles é a confirmação de que as equipes jogarão em suas cidades de origem a partir de 2020, algo totalmente divergente do que ocorre hoje com todas as partidas sendo realizadas no Burbank Studios, na Califórnia.

O primeiro reflexo disso é como as organizações começam a buscar locais que tenham estrutura boa o suficiente para transmitir os confrontos e também receber os fãs locais e visitantes. Isso gera influência tanto na criação de um ambiente que seja excelente para entretenimento naquela cidade quanto como ponto influente de turismo realizado a eventos de grande porte. A Comcast já começa a trabalhar na arena que o Philadelphia Fusion usará, mas só deve ficar pronta para a temporada de 2021. Já foram anunciados cerca de 50 milhões de dólares investidos na construção do complexo de entretenimento.

Essa influência do crescimento da Overwatch League também ganha reflexo nas parcerias que os times participantes da competição começam a realizar. As organizações responsáveis por Dallas Fuel e Houston Outlaws fecharam contrato com a GameStop, o que vai gerar vários benefícios para quem está acostumado a consumir numa das maiores varejistas de games do mundo. Consultas técnicas com jogadores e técnicos das equipes será algo que os clientes poderão comprar.

Mesmo com problemas para manter seu público casual no jogo, principalmente por dificuldades de combater toxicidade e servidor inconsistente na América do Sul, a Blizzard conseguiu fazer com que a Overwatch League se tornasse um modelo de competição invejável com muita rapidez. Os erros da primeira temporada já parecem ter menos efetividade neste segundo ano e os pontos positivos foram mantidos, assim fazendo da competição um espetáculo à parte para os fãs do FPS. 

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.