Battlegrounds surpreende e revitaliza o Hearthstone

Auto Battler tornou-se o foco de muitos jogadores do card game

Battlegrounds, o auto battler criado pela Blizzard para o Hearthstone, foi anunciado durante a BlizzCon 2019 e parecia uma tentativa inusitada da empresa possuir sua versão do gênero em ascensão de 2019. Ao contrário dos concorrentes, que inseriram o modo com base nos MOBAs, o card game surpreendentemente foi a preferência da desenvolvedora, o que causou estranheza no início, mas que tem se justificado pelos acertos em jogabilidade e pela forma que o público-alvo tem demonstrado interesse por ele.

Todos os heróis disponíveis no Battlegrounds

Jogabilidade efetiva, mas com altas doses de aleatoriedade

O maior acerto de Battlegrounds é a simplicidade da jogabilidade, algo que permite ao jogador assimilar muito rápido o que precisa ser feito para conseguir ter um bom desempenho. Mesmo que cada rodada possua bastante tempo para execução de compra das cartas, troca de posicionamento e mudanças estratégicas inesperadas, alguns turnos precisam de cada um desses segundos, caso contrário não dá para desempenhar todas as possibilidades disponíveis. 

Entretanto, o Battlegrounds torna o fator aleatório do Hearthstone em algo mais predominante. Desde a escolha do herói inicial, que se limita a pouquíssimas opções por partida, até a forma que os combates acontecem torna a experiência uma montanha-russa. Se o jogador não se sente confortável com a enorme quantia de randomicidade do auto battler, ele provavelmente se afastará, mesmo que esse seja um dos fatores mais importantes do card game da Blizzard desde o seu início.

O impacto causado

Battlegrounds tem se mostrado um sucesso para a Blizzard pela forma que antigos jogadores voltaram ao Hearthstone por causa do novo modo. Um exemplo disso são streamers e pessoas focadas no competitivo se dedicando exclusivamente ao auto battler, assim deixando a ladder tradicional de lado. Isso também pode ser um reflexo da atual situação do metagame, que tem sido bastante questionado pela eficiência do Evolve Shaman. 

A indagação que fica é como a Blizzard vai monetizar eficientemente com o Battlegrounds, afinal ele ainda está em beta, não parece algo a receber destaque competitivo pela empresa e nem requisita aos jogadores o gastos financeiro periódico para manter-se atualizado dentro do jogo, afinal nenhum auto battler faz isso. O modo parece um acerto enorme para reaproximar os jogadores para o card game, mas a longo prazo precisaria de modificações de impacto para ser tão benéfico para consumidor e desenvolvedora.

Battlegrounds é uma grande surpresa positiva para um ano com poucos pontos positivos dentro do Hearthstone. Os desenvolvedores conseguiram criar um auto battler com qualidade e eficiência dentro da sua proposta, mesmo que seu sistema de combate seja o menos atrativo do gênero. A Blizzard acertou com uma proposta ousada para revitalizar seu card game, algo que veio da influência das empresas concorrentes focadas em MOBA e começaram a roubar público do jogo inspirado em Warcraft. Agora, resta entender como o desenvolvimento dessa proposta vai se manter dentro da comunidade nos próximo meses.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.