BGS 2018: testamos o multiplayer de CoD: Black Ops IIII

Novo game da série cumpre a promessa de manter os pés no chão

Foto: Divulgação

A BGS 2018 deu aos jogadores a oportunidade de conferir diversos games que ainda serão lançados ao longo deste ano e do próximo, e um dos que a equipe do e-Arena teve acesso foi Call of Duty: Black Ops IIII.

É verdade que muitos torceram o nariz quando a Activision anunciou que o game deste ano seria Call of Duty: Black Ops IIII, mas junto com esse anúncio veio a promessa de que, diferente do título anterior, este seria mais “pé no chão” e sem coisas que fizessem o personagem parecer um atleta sobrenatural com habilidades absurdas de correr em paredes, planar e coisas do gênero. E ela conseguiu esse feito.

Partidas dinâmicas e mais justas

Tivemos a oportunidade de participar de uma partida em Firing Range, mapa que muitos certamente devem se lembrar de Call of Duty: Black Ops. Claro que o nosso foco aqui estará mais nos aspectos da jogabilidade, tendo em vista que esse mapa basicamente passou por um processo de atualização, sem grandes áreas inéditas para explorar.

Foto: Reprodução

A primeira coisa que muitos devem saber é que neste game ainda temos o sistema de personagens com habilidades e funções específicas, tal como vimos em Black Ops III. Ao menos para mim, esse sistema não chega a ser um problema, tendo em vista que você consegue ter uma ideia de qual é mais ou menos a função de cada um no campo de batalha assim que verifica seus parceiros no lobby.

Outra coisa que me agradou bastante é o fato de que os combates estão mais “honestos”. Honestos entre aspas porque não havia trapaças antes, mas para quem estava acostumado com os games mais antigos foi uma diferença um tanto quanto sentida ver personagens correndo pelas paredes e coisas do gênero, algo que, para alegria de muitos, não acontece aqui.

Ter os personagens caminhando normalmente dá mais dinamismo aos confrontos, algo que fica ainda melhor com as armas inéditas (experimente perseguir seus inimigos com um lança chamas para ver o que estamos falando), sistema de Scorestreak e muito mais. No geral, essas foram as nossas impressões após uma partida rápida, e também saímos com a certeza de que, no geral, este novo Call of Duty tem de tudo para conquistar mais espaço no cenário competitivo.

Sobre a BGS 2018

Não acompanhou a nossa cobertura especial da BGS 2018? Então acesse o nosso Instagram para ver os Stories que fizemos sobre o evento.

Jornalista com mais de 10 anos de experiência na indústria de jogos, com passagem por grandes portais como UOL Jogos e TecMundo Games. Gosta de acompanhar partidas de jogos online e se aventurar em games mobile, não necessariamente nessa mesma ordem.