MTG Arena: Quatro decklists para usar no Mythic Championship Qualifier de agosto

Classificatório leva o Top 16 para evento profissional na Califórnia

O Mythic Championship Qualifier de agosto é a principal forma dos jogadores de MTG Arena conseguirem entrar no circuito profissional do card game da Wizards of the Coast. Levunga foi o último vencedor de MC realizado na plataforma virtual e adquiriu sua vaga através do mesmo modelo de classificatório. Entretanto, para conseguir isso é necessário estar muito bem preparado para derrotar vários competidores jogando em alto nível.

Escolher a decklist é um dos processos mais complexos para participar de um torneio tão grande de Magic the Gathering, principalmente depois do impacto inesperado que a coleção M20 causou no metagame. Eu vou participar desse classificatório e até agora não tomei minha escolha definitiva do que devo usar no Mythic Championship Qualifier, mas apenas quatro opções realmente me agradam para a competição: Orzhov Vampires, Bant Scapeshift, Esper Control e Temur Elementals. Por isso, vou explicar os motivos de optar estas alternativas com base nas 75 cartas de cada uma.

Matias ‘Levunga’ Leveratto, vencedor do último Mythic Championship do MTG Arena


Orzhov Vampires

Provavelmente, Orzhov Vampires é o melhor deck que existe atualmente no Standard pela eficiência agressiva que o baralho tribal possui, além de conseguir manter o gás por causa de habilidades recursivas, como Sorin, Imperious Bloodlord e Champion of Dusk. Além disso, as opções de remoção e cartas eficientes para o sideboard também são bastante úteis contra os melhores arquétipos do metagame.

A Magic Pro League já demonstrou um grande número de listas de Orzhov Vampires, sendo que o brasileiro Carlos Romão foi o vencedor da sua divisão usando o baralho da imagem abaixo. Para quem não gosta de aggro ou não se adaptou as jogadas que o tribal possui, como é o meu caso, talvez seja melhor optar por outro tipo de baralho, mesmo que os vampiros sejam tão fortes hoje em dia.

Orzhov Vampires usado pelo Carlos Romão na Magic Pro League

Bant Scapeshift

Scapeshift é uma carta normalmente usada no Modern, mas a entrada de Field of the Dead a partir de M20 fez com que o Standard ganhasse um baralho que abusasse do feitiço verde. Luis Scott Vargas conseguiu vencer o Grand Prix Denver com o Bant Scapeshift e isso deu ainda mais destaque para o deck, algo que ficou evidente pelo aumento da presença do arquétipo dentro do MTG Arena. 

Um dos principais motivos da eficiência do Bant Scapeshift é pela dificuldade dos decks adversários conseguirem lidar com Field of the Dead na primeira partida da melhor de três. Como o baralho consegue vencer com certa facilidade ao combinar Scapeshift, o terreno gerador de tokens e a habilidade do Teferi, Time Raveler de transformas em mágicas instantâneas os feitiços, o primeiro match contra este tipo de estratégia precisa de respostas muito precisas ou de muito agressividade, algo que torna o Orzhov Vampires ainda melhor. Entretanto, pós-sideboard o baralho sofre contra várias cartas diferentes, como Legion’s End, Blood Sun, Unmoored Ego e Ashiok, Dream Render, o colocando como um dos alvos mais visados pelas cartas substitutas adversárias.

Lista de Bant Scapeshift do Urlich para a Magic Pro League


Esper Control

Apesar de não estar tão presente no metagame, Esper Control tem sido minha primeira opção para o Mythic Championship Qualifier. O principal motivo para isso é ter sentido bastante conforto quando joguei contra Bant Scapeshift e Orzhov Vampires, tanto vencendo quanto perdendo partidas contra os dois arquétipos. Estar seguro ou confiante com o baralho escolhido para um torneio é bastante importante no MTG, principalmente porque suas decisões são feitas com mais conhecimento e assim o jogador se pressiona menos durante o evento.

Minha preferência pelo Esper Control se resume à grande quantia de cartas eficientes que o baralho pode usar contra os arquétipos mais vistos no metagame, seja no maindeck ou sideboard. Outro motivo que me faz acreditar que este baralho é uma das melhores opções atuais é por causa de Seth Manfield e Shoto Yasooka terem escolhido este tipo de estratégia para suas partidas da Magic Pro League do próximo fim de semana.

Minha lista atual e provavelmente definitiva para o Mythic Championship Qualifier


Temur Elementals

O tribal de elementais apareceu com grande relevância logo que a coleção M20 foi lançada, mas tornou-se menos popular conforme a ascensão de Orzhov Vampires e Bant Scapeshift. Entretanto, eu cheguei ao mítico jogando com uma lista da tribo que usava o feitiço Neoform para buscar Yarok ou Omnath. Apesar disso, não a achei consistente o suficiente e fiz algumas adaptações, principalmente porque estava sofrendo muito contra baralhos agressivos.

Acredito que Llanowar Elves é uma carta obrigatória pela velocidade que pode gerar com as cartas de custo 3 do baralho, Risen Reef e Domri, e não há motivo para evitar Hydroid Krasis entre as 75 cartas, principalmente porque se não colocar o elemental simic de M20 em jogo o baralho perde o gás facilmente. Chandra, Awakened Inferno pode ser a melhor resposta contra os zumbis do Scapeshift, a forma de vencer o Nexus of Fate com o emblema ou uma remoção eficiente de planeswalker. Nissa, Who Shakes the World é uma das melhores condições de vitória do Standard atual por causa da pressão que ela gera. Apesar disso, os inusitados Thunderkin Awakener e Scampering Scorcher têm sido interessantes pela interação gerada com os outros elementais, algo que me ajudou a vencer os profissionais Grzegorz ‘Urlich” Kowalksi e Piotr ‘Kanister’ Glogowski na última sexta-feira.

Temur Elementals que tenho usado no elo mítico

O Mythic Championship Qualifier é uma das maiores oportunidades para jogadores casuais chegarem ao competitivo, principalmente gastando pouco dinheiro através do MTG Arena, por isso todos os classificados durante os meses de maio, junho e julho devem tentar o seu melhor. Para quem não tem vaga para o torneio do próximo fim de semana, as decklists podem ser o caminho para conseguir o top mil do mês para participar do próximo MCQ, em Outubro.

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.