Decks para usar no Legends of Runeterra essa semana

Cinco listas que fizeram bastante sucesso no primeiro acesso

Legends of Runeterra terá seu segundo acesso antecipado a partir do dia 14 de novembro, assim possibilitando quem jogou anteriormente o card game da Riot Games voltar a ele e também dar key para mais jogadores. Draft será uma das novidades incluídas, mas para quem prefere o formato construído, a gente verificou cinco decks que fizeram sucesso, segundo o Mobalytics, para você usar como base durante os dias que o jogo estará disponível.  

Pôuk Control

Pôuk criou uma lista de controle, baseada nas regiões de Freljord e Shadow Isles, que se tornou o deck mais usado pela Europa durante o primeiro acesso antecipado ao Legends of Runeterra. A estratégia é tentar manter as ameaças do adversário sob controle através das várias mágicas que destroem ou causam dano. Para preencher a mesa contra arquétipos semelhantes, alguns seguidores são essenciais, como o Avarosan Heathguard, que gera valor às suas cartas posteriores e também possui um corpo com bons status. Anivia e Tryndamere são os únicos campeões, mas são mais do que suficientes para garantir a vitória por causa de suas habilidades de ressurreição. 

Dogdog Aggro

David Caero, mais conhecido como dogdog, é um dos jogadores mais completos em diversos games de estratégia da atualidade. Já foi campeão de Grandmasters de Hearthstone e hoje é referência no Teamfight Tactics. Durante o primeiro acesso antecipado do Legends of Runeterra, seu Ionia Noxus Aggro foi o terceiro deck mais usado nas Américas. Uma das principais características do baralho é ter ataques evasivos por causa das cartas com a habilidade Elusive. As mágicas tem duas funções: ampliar dano ou inutilizar recursos do adversário, seja com Recall, anula ou Stun. Os três campeões utilizados possuem Quick Attack, o que gera uma agressividade bastante efetiva contra as defesas adversárias.

Creeplar Elite

Durante o primeiro acesso de Legends of Runeterra, eu joguei algumas horas com o tribal de Elite porque me parecia uma tática simples de aprender tudo que o jogo apresenta em questões estratégicas. Creeplar fez algo parecido e tornou sua lista a segunda mais usada na Europa. O plano de jogo é tentar encaixar o Mobilize com efetividade e assim tirar proveito dos custos reduzidos dos seguidores de Elite para garantir bônus de poder e resistência. O deck abusa da curva baixa para conseguir colocar pressão no início da partida, mas também tem alcance conforme coloca na mesa cartas como Vanguard Sergeant. É curioso o uso de Draven, única carta que não faz parte de Demacia na lista do jogador, mas é compreensível pelo valor que o campeão pode gerar conforme encaixa seus ataques.

Lotus Burn

Lotus fez o quinto deck mais usado da Europa e é uma das listas que eu mais tenho interesse em testar no próximo acesso antecipado do card game. Ele usa 28 mágicas, sendo a grande maioria delas para lidar com as ameaças do oponente. Para finalizar o jogo, os dois campeões geram valor pelo alto número de magias conjuradas, assim permitindo que o baralho tenha recurso o suficiente para jogos longos e maneiras diferentes de finalizar a partida. Corina Veraza é interessante como uma possível remoção de todas as ameaças do adversário junto com um corpo bastante impactante na mesa.

Meat Water Fiora Shen

Fiora é um dos campeões mais interessantes de Runeterra pela forma inusitada que finaliza a partida, algo que a lista do meat water aproveita – o que rendeu a ele a quarta posição de baralho mais usado nas Américas. Mesmo que tenha como vencer sem causar os 20 de dano ao nexus do oponente, principalmente abusando da habilidade do Shen e mágicas que geram barreira, a lista também agride o adversário efetivamente usando seguidores com Elusive. Para tirar vantagem de todos os recursos, é necessário ter domínio do tempo de jogo em cada turno para economizar mana no momento ideal e assim aproveitar no turno seguinte protegendo suas principais ameaças. 

Estes cinco decks foram bastante efetivos no primeiro acesso antecipado de Legends of Runeterra, mas isso não quer dizer que terão o mesmo sucesso essa semana. Além da experiência adquirida pelos jogadores, também existe o peso do balanceamento que os desenvolvedores devem inserir para evitar cartas abusivas ou melhorar possibilidades que pareciam inviáveis. De qualquer forma, eles ainda são boas bases para as primeiras partidas no retorno do card game da Riot

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.