Guia básico para Expedições do Legends of Runeterra

Sinergia é um dos maiores diferenciais para este formato

Expedições é o novo formato de Legends of Runeterra. Ele é um draft, modo de jogo que todos os participantes criam seus decks com opções aleatórias disponibilizadas no começo daquela tentativa, assim como a Arena do Hearthstone e o que já existe há muitos anos no Magic the Gathering. Entretanto, o jogo da Riot Games possui diferenciais que tornam a sua versão bastante impressionante. 

Primeiro, não é preciso se preocupar tanto em fazer um draft excelente porque toda Expedição possui duas tentativas, assim tornando o melhor resultado aquele que será considerado para as recompensas do formato. Por isso, é possível fazer experimentações caso as opções iniciais a serem escolhidas não sejam as preferidas. Por exemplo, Thresh foi o campeão que me deu mais vitórias neste modo, assim gerou uma sensação de conforto o escolher rapidamente, quando disponível. Porém, testei outros personagens quando ele não aparecia para compreender melhor qual a funcionalidade de cada um e suas sinergias.

As Expedições começam com três pacotes de cartas, sendo que em cada um deles há um campeão. A preferência é optar por aquele que possui o melhor campeão para a estratégia que você deseja usar, entretanto é muito importante identificar se as outras cartas fazem sentido num baralho com este personagem. Por exemplo, Tryndamere é excelente, mas não combina com opções focadas em Poro, como Iceborne Legacy e Poro Snax, por isso talvez seja mais seguro optar por algo com opções mais coesas. A partir do segundo pick, opções focadas em sinergia e abrangentes aparecerão para o jogador, assim tornando as seleções iniciais bastante importantes.

Apesar dessas escolhas difíceis, o último pick das Expedições sempre é uma troca de carta, algo importante para se livrar de algo incoerente com o baralho montado ou a chance de adquirir recurso relevante que os picks anteriores não permitiram. Posteriormente, o jogador pode colocar novos pacotes de cartas conforme as partidas e também fazer trocas. Antes da disputa decisiva em busca da sétima vitória, ainda existe a possibilidade de trocar cinco cartas, assim refinando ainda mais o baralho.

Sinergia é a chave do sucesso

Nada me deu melhores resultados nas Expedições do que decks sinérgicos. É preciso levar em conta que todos os jogadores tentam melhorar sua estratégia em todo pick ou troca de carta, por isso ter uma coesão tática é fundamental. Por exemplo, Teemo e Tryndamere são opostos, já que um deles pede uma estratégia dedicada a Poison Puffcaps ou seguidores com Elusive e o outro precisa de bons recursos para um jogo que precisa ir longe. 

Troca de cartas é essencial para melhorar o deck

Saber tirar vantagem da sinergia me permitiu conquistar sete vitórias com Thresh abusando de Last Breath e The Rekindler; ao combinar Teemo com vários seguidores com Elusive de Ionia; e até mesmo com um Tribal de Poros – algo que pode parecer bem fraco, mas numa quantia precisa de cartas eficientes da tribo ganha força. 

Expedições é um formato bastante divertido e complexo dentro do Legends of Runeterra, já que o jogador precisa se adequar às situações incomuns ao que veria ao usar os baralhos do construído. Os desenvolvedores da Riot Games acertaram na montagem dos decks e com o quão receptivo é jogar duas tentativas numa única expedição, o que gera a sensação de que o recurso gasto valeu a pena, principalmente ao conseguir bons resultados.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.