Game XP é garantia de diversão para todo tipo de público

Evento entrega entretenimento também para os que não são gamers

A Game XP se mostra novamente um evento que contempla vários aspectos de entretenimento dentro do mesmo pacote, assim agradando um vasto público-alvo, seja em relação de idade ou até mesmo por preferência de consumo da cultura pop. Ao mesmo tempo, o festival consegue se profissionalizar ainda mais na forma de entrega das experiências com as ativações referentes aos jogos eletrônicos ou ao alto padrão técnico das competições profissionais.

Mesmo que o público gamer seja normalmente o que mais consegue aproveitar vários tipos de atividades diferentes na Game XP, as ativações criadas pelas marcas são fundamentais para criar experiências efetivas ao público que não é tão fascinado pelos jogos eletrônicos. Por exemplo, a tirolesa criada pela Nescau trazia um tipo totalmente diferente de entretenimento, assim como a gincana realizada por eles com bicicletas que geravam energia para iluminar os raios de cada equipe. 

Entretanto, estas experiências físicas tornam-se ainda mais imersivas ao público gamer quando elas conseguem recriar a atmosfera de jogos renomados. Fortnite foi um dos maiores exemplos disso ao ter uma área de laser tag que recriava o aspecto de Battle Royale, além do brinquedo de queda livre de 40 metros normalmente visto em parques de diversões de grande escala. Pro Evolution Soccer fazia algo semelhante com circuitos que permitiam os visitantes testarem suas habilidades com bolas de futebol. Crash Team Racing era o tema para a pista de kart da Game XP 2019, o que garantiu caixas de Nitro e TNT espalhadas pela pista.

A imersão é um dos elementos principais para conseguir criar um atmosfera tão efetiva para que o público consiga se divertir em vários locais diferentes dentro da Game XP. A loja da Riachuelo, por exemplo, tinha trilhas sonoras conhecidas como som ambiente do local, então enquanto alguém estava vendo um produto com temática de um game como Fortnite, Street Fighter ou Super Mario, a música ainda trabalhava com a memória afetiva do público. Esta experiência também existia pela forma que algumas zonas do evento funcionavam, como a Gamezone, onde uma grande quantia de fliperamas dominavam o local, assim gerando o clima retrô para quem conviveu tanto tempo jogando em arcades.

A grandiosidade do evento não se limita apenas ao tamanho do Parque Olímpico carioca, principalmente porque as principais arenas conseguem dar uma dimensão ainda maior aos eventos competitivos de Rainbow Six, Pro Evolution Soccer, League of Legends e principalmente a abertura do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike. Além disso, o palco principal ainda recebeu músicos brasileiros renomados como IZA, Anavitória, Mano Brown e Projota, assim atingindo o público presente na feira que também gosta desses artistas. Ainda era possível discutir aspectos de inovação com foco em influenciadores, desenvolvedores de games e assistir palestras sobre vários segmentos.

A Game XP cresce com notoriedade depois de surgir como festival paralelo ao Rock in Rio e depois se consolidar como evento próprio que abraça todos os tipos de pessoas que buscam algum tipo de entretenimento, seja ele mais tradicional, como os brinquedos notórios de parque de diversões, ou aos fãs dos jogos virtuais. As experiências disponíveis fazem com que o público sinta-se confortável para investir dinheiro com ingresso e, talvez, viagem para o Rio de Janeiro em busca do encontro com ídolos, mostrar seu novo cosplay, levar os familiares ou simplesmente se divertir com atividades diversas. 

Agradecimento especial à equipe da Nescau que convidou o jornalista para participar da Game XP.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.