MTG Arena: 5 decks para jogar no Standard sem Oko

Formato volta a ser divertido após longo período de dominância do verde,

O standard do MTG Arena passou por um período bastante exaustivo nas últimas semanas. O motivo disso era o metagame dominado pelo planeswalker Oko, Thief of Crowns. Felizmente, a Wizards of the Coast percebeu o erro de design da carta e a baniu. Além disso, Once Upon a Time e Veil of Summer também receberam o mesmo tratamento, assim balanceando a cor verde para o mesmo nível das outras. 

No dia posterior aos banimentos, a Twitch realizou o seu Rivals de MTG Arena com inscrições abertas ao público, o que permitiu 275 streamers participantes e um metagame muito mais diverso dos dias de Oko. Por isso, pegamos cinco listas dos participantes do evento para te ajudar a encontrar o baralho ideal para subir na ladder.

Golgari Adventure 

Mike Sigrist foi o grande vencedor da competição utilizando um deck que já possuía uma base forte antes dos banimentos e que perdeu apenas Once Upon a Time de importante. A estratégia se mantém em ser agressivo com as ameaças mais intimidadoras (Questing Beast, Lovestruck e Rankle), mas também gerar valor com as compras que o Innkeeper gera na conjuração das aventuras. Além disso, os planeswalkers dão mais alcance para o arquétipo, seja removendo criaturas adversárias ou colocando mais pressão no oponente.

Jund Sacrifice

O streamer brasileiro Matheus “Sandoiche” Yanagiura foi o segundo colocado do torneio com a sinérgica lista de Jund Sacrifice. Provavelmente, este é o deck que mais tira valor do jogo longo com as interações possíveis que existem entre as cartas. Trail of Crumbs não deixa o deck perder o gás, Cauldron Familiar é multifuncional com Witch’s Oven e os tokens de comida ainda auxiliam outras criaturas, como Gilded Goose e Wicked Wolf. 

Jeskai Fires

Sem a existência opressora de Oko e Once Upon a Time, Jeskai Fires volta a ser uma escolha bastante compreensível para o Standard. O encantamento permite que o jogador use outros tipos de variações, como a versão Grixis, mas é a UWR que mais demonstra poder. Um dos principais motivos disso é por causa da consistência que as cartas brancas geram para a estratégia do baralho. Os dois Cavaliers são vitais para garantir o dano letal, mas Kenrith, Teferi, Deafening Clarion e Time Wipe são recursos bastante importantes contra muitas táticas de early game. A versão de Sam_Roflo tem Narset no main deck, algo que eu acho questionável pelo alto número de criaturas, assim tornando a habilidade dela menos efetiva. Minha preferência é pelo uso de Fae of Wishes, o que obrigaria a mudanças drásticas no sideboard também.

Temur Reclamation

Wilderness Reclamation já foi bastante importante no Standard quando Nexus of Fate era uma das cartas do metagame – opção que levou o argentino Levunga até o título do Mythic Championship. Agora, o encantamento verde encontra a vitória através da mágica instantânea Expansion/Explosion. Antes disso, é preciso usar o máximo possível de mágicas para tentar controlar os planos do oponente e também dar ritmo ao jogo da melhor maneira possível para causar dano letal com sua principal mágica. Para quem gosta de combo, esse é o baralho que mais se aproxima do estilo no formato, ainda mais quando Niv-Mizzet Parun está em jogo.

+ Leia: Entrevista com Willy Edel, CEO da Bazar Gaming

Rakdos Aggro

Nenhuma proposta agressiva deve ser melhor do que o Rakdos Aggro atualmente no Standard. Além de colocar pressão rapidamente com as criaturas de custo baixo, o deck ainda consegue criar dano letal com uma facilidade absurda ao combinar Rotting Regisaur e Embercleave, uma das melhores combinações dentro do Standard. Mãos iniciais explosivas podem ser mais do que suficientes para finalizar partidas rapidamente, mas que não são obrigatórias para o baralho mostrar funcionalidade.

Estes decks são seguros para se usar nesse novo Standard, então vale a pena investir neles para tentar subir na ladder até o final do ano. Obviamente, o metagame ainda deve se ajustar nas próximas semanas, mas seria inusitado qualquer um deles se tornar péssimo tão rapidamente.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.