Coleção modifica o Standard e prepara caminho para novo formato

A coleção M20 chegou na última semana ao MTG Arena e seu impacto foi muito maior do que o esperado para uma expansão que tem como função reintroduzir anualmente os conceitos básicos do jogo. Desta vez a Wizards of the Coast conseguiu criar um design surpreendente por modificar imediatamente o Standard com as cartas novas, algo que raramente acontece com a última expansão antes do formato rotacionar com o novo bloco, que será lançado entre o final de setembro e início de outubro. Além disso, os drafts e selados são equilibrados por causa do power level bem distribuído, assim agradando aos jogadores que fogem do construído.

Durante a temporada de revelações das cartas de M20, os jogadores não imaginavam que mudanças drásticas poderiam ser causadas no formato, principalmente porque a coleção não aparentava ter muitas cartas capazes de modificar o Standard. Entretanto, nem mesmo Esper Hero/ Control que dominavam a ladder em junho aparecem com a mesma frequência, mesmo que tenham sido as principais escolhas dos profissionais no último Mythic Championship. Agora é possível enfrentar baralhos que pareciam completamente descartados, como UG Flash, RG Dinossauros e até mesmo o BW Vampires – duas tribos do bloco de Ixalan, que deixa o Standard no próximo quadrimestre.

A ascensão de decks baseados em tribos não parece uma estratégia de design a curto prazo com o lançamento de M20, mas sim um planejamento efetivo de tornar tais decks efetivos no formato Historic – que será lançado com o próximo bloco e terá todas as cartas disponíveis no MTG Arena para a montagem dos baralhos. Não é nada improvável que a próxima coleção também tenha design com influência direta para que este formato inédito dê certo.

A mudança drástica no Standard acontece devidamente por causa de cartas que possibilitam arquétipos anteriormente falhos ou por causa de melhorias para combater ameaças de cores específicas. Por exemplo, Devout Decree, Aether Gust, Noxious Grasp, Fry e Veil of Summer são opções excelentes para sideboard devido à eficiência versus vários baralhos. Apesar disso, estas possibilidades são mais singelas porque não criam o alicerce estratégico dos decks, apenas o melhoram contra possíveis deficiências.

Entretanto, as principais cartas que impactaram o Standard são Sorin, Imperious Bloodlord, que tornou o BW Vampires forte; Chandra, Awakaned Inferno, versátil para todos os baralhos midrange que sejam vermelhos; Nightpack Ambusher, responsável por dar força ao UG Flash; Marauding Raptor; dinossauro que funciona como ameaça e acelerador de criaturas da tribo ao mesmo tempo; Omnath, Locus of the Roil, pela versatilidade como remoção, ameaça e draw engine; e Risen Reef, peça fundamental nos baralhos de elemental.

M20 Sideboard cards

M20 trouxe esse pacote de opções eficientes de sideboard para todas as cores

M20 mostra-se uma coleção efetiva em curto e longo prazo por criar impacto inesperado no Standard, que parecia resolvido e previsível, mas também deve ser importante no futuro para facilitar os decks mais eficientes do formato Historic. Com isso, a Wizards of the Coast consegue revitalizar o metagame para os próximos três meses e tornar as competições de MTG Arena mais atrativas para participantes e telespectadores, algo bastante importante para aqueles que participarão do Mythic Qualifier Weekend em agosto.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.