Overwatch mira o fim do GOATS

Estratégia deve diminuir eficiência com as próximas atualizações

Overwatch tem sofrido com o domínio estratégico gerado pela formação GOATS, que é composta por três suportes e tanques, o que tem resultado em reclamações dos telespectadores nas competições sempre que ambas as equipes usam este tipo de plano. Com isso, os desenvolvedores da Blizzard têm trabalhado em vários tipos de nerfs e buffs para balancear o metagame do jogo com as próximas atualizações.

Entretanto, ao modificar tanto alguns personagens por detrimento de uma composição que só funciona com precisão do trabalho em equipe, os próprios desenvolvedores podem tornar heróis equilibrados em personagens que prejudicam as partidas em vários elos diferentes. Hoje, o Reaper é um incômodo para quem joga nos ranques inferiores ao Platina devido à grande quantia de cura que ele possui ao causar dano no adversário, mas é muito menos efetivo versus formações de GOATS bem conduzidas pela neutralização que pode ser feita contra ele.

Introduzindo Baptiste

O médico de combate haitiano é o trigésimo herói selecionável do Overwatch e chega para modificar o metagame do FPS. Baptiste é mais um suporte versátil em habilidades de dano, cura e o inovador Campo de Imortalidade, que pode ser um dos grandes diferenciais quando ele for liberado nas atualizações futuras. Apesar disso, ele não é uma escolha fácil de ser jogada com qualidade facilmente, principalmente pelo posicionamento de seu robô que mantém os aliados vivos e na contagem dos cooldowns, já que eles demoram bastante tempo. Além disso, o personagem ainda possui Exobotas para facilitar o acesso a terrenos elevados, algo que facilita fuga e posicionamento estratégico.

A própria habilidade suprema do personagem é uma forma de intensificar a presença de heróis de Dano nas formações. Ao criar a Matriz Amplificadora, ele dá buff para os projéteis do time que atravessam esse campo de ação, assim Baptiste aumenta tanto seus tiros quanto dos outros heróis da equipe que tenham estas características de ataque. Por exemplo, Reaper intensifica a agressão e ao mesmo tempo sua regeneração; Ana amplifica seus disparos para as duas funções da atiradora. Entretanto, os raios de Zarya, Winston e Symmetra não ganha o bônus. Ele intensifica o uso de opções não convencionais ao estilo adotado pelo GOATS, assim mostrando um caminho oposto por parte dos desenvolvedores em relação à estratégia que domina o metagame.

Contra GOATS, tudo! Para GOATS, nada!

Para tentar balancear o metagame do jogo, a atualização com entrada do personagem Baptiste também deve trazer uma grande leva de buffs e nerfs em diversos heróis. Os mais comuns na formação GOATS, terão suas habilidades prejudicadas, enquanto algumas peças-chaves contra esse plano tático terão seus recursos aprimorados. Veja detalhadamente cada um deles:

  • Ana: Cura do Estimulante de 300 para 250, o que limita muito pouco o potencial da habilidade suprema da atiradora;
  • Doomfist: Tempo de recarga dos Gancho Ascendente e Abalo Sísmico reduzidos de 7 para 6 segundos. Com isso, o personagem torna-se muito mais rápido na efetivação de seus combos e fugas;
  • Hanzo: Área de detecção da Flecha Sônica aumenta de 7 para 9 metros. O arqueiro não deve tornar-se mais efetivo por causa disso;
  • Junkrat: Lançador de Granadas aumenta de 40 para 60 de dano. A quantia acrescentada aos projéteis do Junkrat deve torná-lo muito mais popular, principalmente pela facilidade que vai eliminar alguns heróis que se posicionam lado-a-lado;
  • Lúcio: Speed Boosts diminuem a amplificação de 70% para 50%, mas o Wall Ride do herói aumenta em 20% a velocidade. Seu Soundwave tornou-se Assistência Ofensiva. Essa é uma das maiores mudanças para o GOATS, já que o personagem é vital na equipe, mas não torna o personagem inviável;
  • McCree: Descarregando o Tambor tornou-se 50 de dano, mas seu Tiro Certeiro dobrou, agora chegando a 550. Agora, o pistoleiro torna-se ainda mais letal com sua habilidade suprema;
  • Mei: Dano do Aniquilador Endotérmico aumenta de 45 para 55 por segundo, enquanto a Muralha de Gelo perde 100 de vida;
  • Moira: Cura do Punho Biótico aumenta de 3 para 4 segundos em uso. Total de regeneração foi de 50 para 65. Apesar de não ser tão usada no GOATS, a personagem sempre foi uma escolha viável, porém menos eficiente que os outros. Com o buff no recurso principal para manter os tanques vivos, ela deve tornar-se mais importante;
  • Orisa: Metralhadora de Fusão reduz apenas 30% da mobilidade da personagem. Essa modificação torna o tanque mais efetivo em teamfights enquanto precisa mover-se sem parar de usar seus disparos;
  • Pharah: Mínimo de dano da explosão do Lançador de Foguetes aumentado de 16.25 para 20. Com isso, é muito mais fácil de eliminar personagens com disparos consecutivos;
  • Reaper: Passiva cura 10% a menos quando causa dano. O herói é um dos grandes problemas nos elos baixos atualmente, sendo que um dos motivos é ele se manter vivo com tanta facilidade, algo gerado após um buff muito alto nessa mesma habilidade;
  • Soldado 76: Rifle de Pulso Pesado causa mais 1 de dano, Disparada teve delay diminuído de 5 para 3 segundos e Visor Tático mira nos Pneu da Morte e Campo de Imortalidade. A habilidade suprema do herói deve tornar-se muito efetiva contra dois personagens que serão destaques na próxima atualização;
  • Sombra: Tempo de recarga do Hack foi reduzido pela metade quando o alvo é um health pack;
  • Torbjorn: Vida base aumentada em 50 de armadura (máximo 250) e o ganho de armadura reduzido para 100;
  • Widowmaker: A Visão Infravermelha revela a quantia de vida dos inimigos, mas desaparece quando a personagem morre;
  • Wrecking Ball: Escudo Adaptativo não cancela a Rolagem. Essa modificação torna o tanque mais efetivo defensivamente e um recurso mais comum para ganhar tempo ao time;
  • Zarya: Partículas de Canhão tem redução de alcance dependendo do nível de energia acumulada. Com isso, a personagem tem uma das suas habilidades principais ofensivas contra a própria GOATS menos eficaz;
  • Zenyatta: Orbe da Discórdia teve efeito reduzido para 25%, mas Orbe da Destruição aumentada para 48.

Vitórias do New York Excelsior continuam contantes na segunda temporada da liga

Efeito Overwatch League

Os telespectadores da Overwatch League já estão acostumados a assistir os confrontos de duas equipes usando a formação GOATS. Esse é o status que deve se manter durante todo o Stage 1, mas que não agrada boa parte do público, que costuma reclamar das teamfights demoradas que este tipo de composição traz às partidas. Com isso, os desenvolvedores também precisam se preocupar com algo agravante àqueles que querem ver os melhores jogadores do mundo do FPS sem tantas partidas repetitivas.

Apesar disso, gera uma situação contraditória criar uma atualização com tantos nerfs e buffs que afetam a formação que mais obriga um ótimo trabalho em equipe. O jogo deveria ser sobre isso o máximo possível e não se tornar um empecilho a quem joga ou assiste. O domínio de GOATS tem feito organizações excelentes mostrarem péssimo desempenho, como os dois times de Los Angeles, mas ressalta a consistência da New York Excelsior, que já era um elenco invejável na primeira temporada e agora é o líder da competição atual com qualidade de sobra.

Os desenvolvedores de Overwatch assumem um caminho complicado ao atualizar tantos personagens ao mesmo tempo, principalmente quando o domínio de Goats poderia ser resolvido com dois recursos pedidos por parte da comunidade: Ban de personagem e Role Queue. Com a primeira opção, eliminar um herói de cada classe do time adversário no início do jogo facilitaria a redução de formações espelhadas e forçaria os oponentes a mudanças inesperadas. Enquanto a segunda, que deve ser implementada em breve segundo Jeff Kaplan, faria com que muitos jogos se tornassem combate de 2 tanques, DPSs e suportes.

Overwatch deve renovar seu metagame nas próximas atualizações com a chegada de Baptiste e tantas modificações em vários personagens, mas não é difícil imaginar a manutenção efetiva do GOATS ou o desbalanceamento de algum herói, como pode se imaginar com o Junkrat – algo que existe hoje com o Reaper nos elos baixos. Ao mesmo tempo, a Overwatch League realça o trabalho tático em equipe, um fator de extrema importância para o sucesso de estratégias que demandam execuções perfeitas das habilidades, mas que não agrada parte do público, gerando uma contradição que pede por mudanças – sejam elas boas ou ruins a longo prazo.

A atualização com Baptiste e a nova leva de nerfs e buffs ainda não tem data para entrar em vigor, mas já está disponível no RTP.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.