Pro Evolution Soccer e FIFA se sabotam com as exclusividades de times e ligas

Konami e EA Sports tentam conquistar público pelo coração torcedor

Konami e EA Sports continuam com a mesma premissa para tornar seus jogos de futebol, Pro Evolution Soccer e FIFA, respectivamente, únicos: a exclusividade de clubes e ligas. Entretanto, essa tática das desenvolvedoras torna-se um campo minado de uma contra a outra, algo que gera prejuízos para o produto próprio porque os jogos tornam-se incompletos na estética de atletas e equipes.

Essa autenticidade que Konami e EA Sports tentam criar nos jogos de futebol através da exclusividade tornou-se um elemento ainda mais importante com o passar do tempo, principalmente pela imersão que ambas as desenvolvedoras desejam criar. Isso acontece desde os aspectos mais simples, como a narração com jornalistas esportivos, ou até mesmo aos detalhes mínimos presentes dentro daquela competição. Nos últimos anos, os games esportivos abraçaram ainda mais o aspecto de simulador, o que torna o visual ainda mais determinante.

O eFootbal PES 2020 já garantiu o licenciamento de algumas ligas, como a italiana, e a exclusividade da Euro 2020, mostrando que a desenvolvedora está tentando melhorar pontos que os fãs sentiram falta no jogo anterior. Por exemplo, a Juventus se chamava PM Black White, mas agora se tornou exclusiva da Konami, assim garantindo o clube italiano com maior destaque internacional no produto com o máximo de fidelidade. A Konami também mantém interesse de exclusivos em regiões não-europeias, como Ásia e América do Sul, o que reflete no acordo com Boca Juniors e River Plate.

Enquanto isso, a EA Sports adquiriu a Champions League como o grande diferencial de exclusividade para o FIFA 20, algo que a Konami manteve para si durante muitos anos. Apesar disso, a franquia parece mais enfraquecida do que nunca nessa disputa direta com a concorrência, o que deve fazer com que questões técnicas e modos de jogo virem motivos para a manutenção ou retorno de público ao game.

O consumidor dos jogos de futebol é bastante vasto, passando pelos profissionais que despejam bastante dinheiro para formar suas equipes até os mais casuais que só querem se divertir com os amigos. Esse segundo exemplo costuma se preocupar mais com os aspectos de fidelidade às ligas e clubes, principalmente se for torcedor de alguma equipe. Outro diferencial que pode ser importante é algum modo específico que ele goste de jogar. Este ponto deve ser bastante relevante no confronto de Pro Evolution Soccer e FIFA por causa das melhorias criadas pela Konami para a Master League e da aposta saudosista do Volta, que resgata o FIFA Street.

Estádio do Palmeiras confirmado no PES 2020

Enquanto Konami e EA Sports não criam diferenciais muito grandes para a jogabilidade dos seus jogos de futebol, a exclusividade de ligas e clubes se torna a principal ferramenta de conquista do público mais apaixonado pelo esporte, enquanto seus modos de jogo podem ser um recurso de apelo nostálgico. Pro Evolution Soccer e FIFA devem ter o confronto mais equilibrado das franquias em muitos anos, mas a sensação que fica é que nenhum jogo é realmente completo pela fidelidade impossível de ser usada devido aos contratos que o concorrente possui, assim tornando uma disputa que deveria ser técnica em emotiva, afinal o carinho por clube ou competição favorito torna-se um diferencial importantíssimo.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.