Qual é o futuro do Hearthstone?

Card game da Blizzard estagnou desenvolvimento de jogabilidade

Hearthstone surgiu num cenário em que os card games digitais não tinham tanta concorrência nem qualidade, com isso o desenvolvimento da Blizzard o colocou no topo do gênero. Com o passar do tempo, o estilo ganhou mais produtos para tentar destronar o jogo de cartas baseado no universo de Warcraft, entretanto, nenhum deles conseguiu chegar perto disso. Contudo, sempre fica a sensação de que o Hearthstone poderia ser muito melhor, principalmente pelas questões facilmente discutíveis sobre a criação de recursos de inovação na jogabilidade, assim sempre gerando dúvidas sobre o futuro dele.

Um dos motivos para questionar o futuro do Hearthstone é uma visão totalmente pessoal minha. Eu não vejo mais as pessoas do meu grupo de amigos tão interessada no card game como anteriormente. No meu caso, faz mais de um mês que eu não abro o jogo, mesmo o tendo instalado no smartphone e PC, o que me fez não abrir nem os packs da coleção recém-lançada, Salvadores de Uldum. Com isso, meu consumo de Hearthstone tem sido apenas dos vídeos do Trolden e alguns minutos de streamers que costumo gostar, como o Kibler, e torneios.

Entretanto, essa perspectiva é extremamente pessoal, por isso perguntei aos membros da comunidade brasileira de Hearthstone no Facebook sobre a visão deles sobre qual seria o futuro do card game. Apesar de não existir um consenso para minha indagação, muitos salientaram que não se sentem tão motivados com o jogo e que esse ciclo de queda e ascensão de jogadores é comum para um game que já possui um grande público. Entretanto, um ponto citado por eles me chama mais atenção do que qualquer outro pra mim: a falta de entrega em melhorias no desenvolvimento da jogabilidade. 

Hearthstone já deveria ter muitas melhorias em sua jogabilidade, como o modo torneio que vai chegar exclusivamente para o servidor chinês em breve, mas que não são implementadas para todos e só se tornam projetos para um futuro não tão distante. As aventuras não são mais tão relevantes ou gratificantes como outrora e há muito tempo um novo formato não é introduzido, assim tornando a dinâmica do usuário repetitiva, algo que ocorre com tantos games free-to-play da atualidade. Até mesmo as Arenas especiais, como a classe dupla, poderia ter espaço frequentemente. 

Apesar de não desenvolver melhorias nos modos de jogo ou indicar novidades num futuro próximo, a equipe do Hearthstone tem sido bastante eficiente para tentar solucionar problemas de metagame – mesmo que hoje em dia eu considere obrigatório algum tipo de nerf no Dr. Cabum, O Gênio Louco. A preocupação com este aspecto do card game é bastante importante, principalmente pelo problema que foi o período de Genn e Baku no Standard.

Mesmo que exista eficiência no metagame conforme nerfs e buffs são inseridos, o competitivo do Hearthstone não avançou como a equipe de e-sports imaginava ao inserir o formato Specialist, que será descontinuado na segunda temporada do Grandmasters e terá o retorno do Conquest. 

Outro ponto negativo atual para a visão que existe para as competições é o afastamento do Dog, campeão da Masters Tour Las Vegas, por preferir dar ênfase nas streams de Teamfight Tactics. Ele não se aposentou do card game, mas se distanciar de um cenário competitivo que ele está no topo dá uma visibilidade negativa ao produto da Blizzard, ainda mais num período que alguns streamers grandes estão dando mais espaço para o auto battler da Riot Games.

Hearthstone ainda é o principal card game virtual da atualidade, mas tem encontrado disputa por público com a ascensão do gênero Auto Battler. Entretanto, seu maior problema é a ineficiência de desenvolver novas possibilidades dentro do jogo, já que o metagame tem sido melhor gerenciado e a criação de coleções tem sido bastante efetiva em 2019, principalmente ao apostar no conceito narrativo durante as expansões. A equipe de desenvolvimento do card game da Blizzard precisa repensar estruturas que sejam interessantes para todos os jogadores, como objetivos inusitados a serem cumpridos, um possível retorno da estrutura antiga das aventuras ou algum modo inovador, como cooperativo ou o tão aguardado torneio. Hearthstone não dá sinais claros de um futuro ruim, principalmente pelos acertos no competitivo, mas é incerto como manterá seus fiéis jogadores e se continuará a conquistar novatos quando o público casual tem tanta dificuldade de montar baralhos competitivos.

COMENTÁRIOS

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.