Teamfight Tactics é o principal game do gênero na atualidade

Os jogos do gênero Auto Battler surgiram através do Auto Chess, mod criado pelo Drodo Studios dentro do Dota 2, mas rapidamente ganharam espaço dentro das desenvolvedoras dos maiores MOBAs da atualidade, assim surgindo Dota Underlords, pela Valve, e Teamfight Tactics, da Riot Games. Outros jogos do estilo já apareceram, com menos popularidade, e muitos ainda devem ser lançados, por isso decidimos pensar em quais empresas com franquias queridas poderiam aproveitar o hype para criar suas versões. Veja a nossa lista:

Pokémon Company

Desde que ouvi o pessoal do site The Enemy comentando sobre como a estrutura da franquia Pokémon tem elementos eficientes para uma versão de Auto Battler, eu não tirei da cabeça o quão divertido e eficiente ele seria. Pegar cópias do mesmo monstrinho permitiria que ele evoluísse para seu próximo estágio, assim facilitando quanto custaria cada um deles e quais seriam mais complexos de levar para o próximo nível. Os pokémon com apenas duas evoluções ou nenhuma também poderiam ser recursos estratégicos que modificam habilidades conforme seu estágio, como o Ditto mimetizar igualmente uma peça da mesa randomicamente conforme o nível que o metamorfo estiver.

Classes e origens seriam modificadas apenas para os tipos de cada pokémon, algo que pode ser um pouco mais complexo para criar habilidades únicas aos seus tipos. Entretanto, isso também permitiria que alguns monstrinhos sejam mais eficientes conforme modificam suas tipagens. Fraquezas e resistências seriam formas complexas de serem introduzidas, já que o ataque é determinante para esse cálculo.

Em compensação, os itens existentes na franquia pokémon são facilmente adaptáveis aos Auto Battlers. Eles poderiam ser eficientes para diminuir fraquezas, aumentar ataque corporal, tornar personagem imune a habilidades terrestres e até mesmo recuperar condições especiais criadas durante o confronto. Espero que a Pokémon Company já tenha percebido o potencial da marca para este estilo de jogo e encontre uma desenvolvedora capaz de criá-lo.

Pokémon Masters é o próximo jogo da franquia a ser lançado

Capcom

Recentemente a Capcom investiu em seu próprio cardgame, o Teppen, mostrando que a empresa está de olho em gêneros da atualidade no qual ela facilmente consegue trabalhar suas franquias de sucesso. Não seria nada difícil criar um sistema de Auto Battler com tantos personagens, universos e itens, algo que o card game já consegue fazer, mas em uma escala menos dinâmica.

Street Fighter geraria a grande maioria de personagens lutadores, Darkstalkers e Devil May Cry acrescentariam o lado sobrenatural, Resident Evil poderia abusar de ciência e horror, Monster Hunter teria itens para adquirir após derrotar as hordas de cada estágio, etc. Estes exemplos ainda são baseados em apenas algumas das franquias possíveis, já que a Capcom também tem muitas outras renomadas, como Mega Man.

Tela de combate do Teppen, card game da Capcom

Blizzard

A Blizzard já deveria ter criado algo no gênero do Auto Battler ou ter ao menos anunciado algo, seja pelo hype ou conseguir aproveitar suas franquias de sucesso em um jogo único, ainda mais quando Heroes of the Storm não fez tanto sucesso como poderia e já tinha a convergência das marcas da empresa. 

Overwatch teria um grande número de personagens com características muito diferentes para serem adaptados ao Auto Battler, mas Diablo e Warcraft seriam as franquias mais robustas para gerar conteúdo à empresa ao adentrar no estilo. Não foi por acaso que um deles serviu de base para o Hearthstone, assim mostrando o quanto aquele vasto lore seria capaz de se transformar em algo totalmente diferente. Encontrando o desenvolvimento ideal, esse poderia ser o game para a empresa investir em mobile, algo que claramente dá retorno financeiro por ser mais acessível a muitas pessoas e que não é um território tão explorado pela Blizzard.

 

Os personagens da Blizzard já foram importantes no Heroes of the Storm. Que tal num Auto Battler?

Marvel Games

Dificilmente a Marvel teve algum período de popularidade maior do que o atual. Seus filmes conseguem arrecadar bilhões na bilheteria e moldaram a indústria cinematográfica dos últimos anos. Ao mesmo tempo, o setor de games da empresa também tem produzido bons jogos, como o Marvel’s Spider-Man, desenvolvido pela Insomaniac, e Contest of Champions, da Kabam. Em maio de 2020, a Square Enix enfim lança seu game dos Vingadores.

Transformar o Universo Marvel em Auto Battler é algo extremamente fácil pela  quantia de raças diferentes, equipes que os personagens já fizeram parte e até mesmo itens importantes que poderiam ser incorporados no jogo. Evoluir o poder de heróis e vilões também poderia disponibilizar habilidades diferentes em cada nível, algo que faria o jogador tentar chegar até pontos específicos para tirar proveito daquele recurso na composição. Por exemplo, Jean Grey no primeiro estágio é apenas a Marvel Girl no começo dos X-Men, enquanto no nível dois ela já pode ser a versão experiente da série animada dos anos 90 e com poder máximo, na fase três, acessa a Força Fênix.

Sim, também poderia ser um game do universo DC, mas o redator tem mais domínio dos personagens da Marvel e enxerga um momento mais favorável para algo da Casa das Ideias do que da concorrência, mas aceitaria formar composições com Liga da Justiça, Lanternas e Jovens Titãs também. 

Marvel Future Fight ganha atualizações com referências do MCUAuto Battler

O gênero do Auto Battler ainda pode ser explorado por muitas empresas diferentes, basta as desenvolvedoras entenderem como adaptar tal universo ao estilo e conseguir criar algo novo que o diferencie dos concorrentes – além de seus personagens. Outro ponto importante é o alicerce de uma equipe que atualize e compreenda os desejos dos fãs aos problemas que surgem dentro do metagame ou conforme as atualizações são disponibilizadas. De resto, só basta torcer para que alguma dessas empresa decida investir no Auto Battler também.

Durante pesquisa e produção de textos, é encontrado com a alcunha de Lazyguga em partidas de Overwatch, Clash Royale e MTG Arena ou conquistando ginásios no Pokémon GO.